CONHEÇA: "REZADEIRA - O CASO DA FAMÍLIA CABRAL"

AS FRUSTRAÇÕES DE UM ESCRITOR

Imagem: Reprodução / Geração X2  
As ideias surgem e desaparecem, escorrem entre os dedos. Para compositores, roteiristas, escritores, o texto é o meio ideal de armazenar ideias, criações. É divertido, é tranquilizador, é estressante, é agoniante... Os escritores bem sabem do que falo. Escrever um livro, por exemplo, não é fácil, mas vale a pena.

Primeiro temos aquele start com uma explosão de ideias, escrevemos páginas e páginas sem nem perceber, depois sofremos um bloqueio criativo e cada parágrafo finalizado caracteriza-se como uma vitória. O processo de escrita se intercala entre travas e fluidez.

O livro é "concluído"... Concluído, mas falta um detalhe a ser consertado... Faltam dois detalhes... Faltam três detalhes... Faltam mais do que detalhes! E o escritor não pode desistir após ler o próprio livro mais de cinquenta vezes, até porque ao final de cada leitura, os olhos, cansados, esboçam emoção.

Amigos leem, criticam e, com isso, novas leituras, detalhes a serem ajustados. Após meses ou anos de trabalho, a obra é de fato concluída. O escritor está disposto a publicar. De repente, descobre que vários autores já lançaram um livro com o mesmo tema; quando começou a escrever, pesquisou e não existia nenhum! Acha que foi plagiado antes mesmo de publicar, mas é apenas um comentário sem sentindo, sem fundamento, distribuidor do impossível. "Nada se cria, tudo se recria". Então, apesar dos pesares, o autor se convence de que sua obra tem coisas diferentes a mostrar, ergue a cabeça e vai a procura de espaço no mercado editorial; coitado se for iniciante, achava que escrever era a parte mais complicada.

Escritores já publicados sabem, pelo menos, que podem contar com o apoio dos leitores, muitos ou poucos, que já conquistou.


Você é escritor? Gosta de ler e pensa em escrever um livro? Nem um nem outro? Deixe o seu comentário.

Carlos Rodrigo

Escritor. Blogger. Graduando em Jornalismo. Autor do conto "Rezadeira - O Caso da Família Cabral".

2 comentários:

  1. Eu não me considero um escritor, mas amo escrever.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então você não está muito distante de se tornar um (;

      Excluir