CONHEÇA: "REZADEIRA - O CASO DA FAMÍLIA CABRAL"

SOBRE TER DOIS PERFIS NAS REDES SOCIAIS: UM PESSOAL E UM PROFISSIONAL. VALE A PENA PARA ESCRITORES?


Este é um post exatamente pra você, escritor, que pensa em dividir as coisas e criar dois perfis nas suas redes sociais; um perfil seria seu como "pessoa comum", o outro seria aquele onde você atuaria como escritor. A diferença seria o público, afinal, pra quê falar do que você escreve a sua família e amigos? Já ouvi falar dos motivos:

Primeiro: "Não se deve misturar as coisas! Deixe sua vida pessoal longe do seu trabalho!"
Sabe aquela frase que eu acho que não se aplica em determinadas situações? Pois é, cara, estamos diante de algo desse tipo aqui. Não vejo vantagem para um escritor  que além de trabalhar escrevendo, também deve trabalhar com o mínimo de comunicação  se limitar a um público pré-selecionado por ele. Acredito que o nosso público é algo que nasce de forma independente e o perfil desse pessoal pode nos surpreender. Portanto, permita que qualquer pessoa tenha a oportunidade de conhecer o seu trabalho e comece com as pessoas que estão mais próximas de você, as chances delas te apoiarem são maiores. Afinal, o seu trabalho é, na verdade, parte de você. "Mas os membros da minha rede social pessoal não gostam de ler!" é o quê mais ouço. Também é nosso papel incentivar a leitura, não é?

Segundo: "Eu tenho vergonha! Jamais descobrirão que sou escritor, jamais me pegarão escrevendo vivo!"
Vergonha do que faz parte de você? Tanta gente que desenha e posta com orgulho pra todo mundo ver... vamos mostrar nossos textos também! Ninguém vai lhe exilar por isso. Escrever a morte de um personagem não é como se você tivesse matado alguém de verdade. Sério, eu nunca tive vergonha, não entendo o motivo dela. Deixem nos comentários.

Terceiro: "Não quero me expor demais. Quero postar minhas selfies com minha namorada e saber que só quem eu conheço vai ver!"
É, admito que esse é um bom motivo. Aqui a situação se inverte, analisando bem. O problema não são as pessoas conhecidas, são as desconhecidas. Então, fica o dilema: abrir mão de expor informações pessoais e ter apenas um perfil nas redes sociais, ou não abrir mão e criar dois perfis, reduzindo o seu público. Lembrando que a probabilidade das pessoas conhecidas te apoiarem são maiores.
Você pode ter os dois perfis e publicar a mesma coisa nos dois, porém, convenhamos: dá mais trabalho! Dá uma baita dor de cabeça nessa rotina tão corrida das nossas vidas (pelo menos da minha)!

Fico por aqui, galera. Aguardo comentários e até a próxima. 

Carlos Rodrigo

Escritor. Blogger. Graduando em Jornalismo. Autor do conto "Rezadeira - O Caso da Família Cabral".

2 comentários:

  1. Depois que fiz o blog eu criei uma página e outro perfil no Instagram só pra postar os conteúdos do blog, sem contar que ainda tem outras tantas redes sociais que criei contas exclusivamente pra isso, mas na minha opinião é um mal necessário para que se possa manter o mínimo de privacidade e também para abranger um público mair.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, no caso do blog realmente precisa de outras contas, porque é necessário criar uma identidade visual do blog e não do blogueiro em si. A privacidade conta bastante mesmo, Bia. Concordo contigo, nesse caso um público maior seria alcançado como você falou. Abração

      Excluir