CONHEÇA: "REZADEIRA - O CASO DA FAMÍLIA CABRAL"

[REVIEW] BLACK MIRROR 1x01: HINO NACIONAL

Imagens: Google Images
Imagine aí uma série de TV onde em cada episódio é contada uma história diferente e independente da anterior, porém todas ambientadas no futuro. Imagine uma série que traz uma visão sombria da tecnologia, mostrando nós, pobres humanos, mortais, fodidos, subordinados a ela. Você pensou em Black Mirror!

Minissérie britânica antológica criada por Charlie Brooker, Black Mirror se encontra na sua terceira temporada, sendo que a primeira conta com apenas 3 episódios; devo dizer, três ótimos episódios. Trata-se de uma série que tem gerado diversos debates na área da comunicação, então não é a toa que eu tenha conhecido a produção televisística na faculdade (sou graduando em Jornalismo).



The National Anthem (Hino Nacional, em português) é o título do primeiro episódio. Nele, uma princesa é sequestrada e os sequestradores exigem, como condição para a liberdade da princesa, que o Primeiro Ministro faça sexo com um parco (Zoofilia, Arg!), mais: o ato deve acontecer ao vivo em rede nacional em todos os canais de televisão! O episódio se desenrola com as tentativas do governo de livrar o Ministro da humilhação, e com a influência dos movimentos dos veículos de comunicação paralelos aos passos do caso.

É um episódio tenso, mas com algumas cenas engraçadas no roteiro. Seu tema central é certamente a comunicação na modernidade. Vocês conseguem imaginar o quanto ela é poderosa? Um Jornalista pode matar pessoas com a simples divulgação de informações pessoais, um exemplo similar é a "turba do pega e lincha", conceituada por Contardo Calligaris.


Ministro e membros do governo assistindo a vídeo mandado por sequestradores.
A comunicação está atrelada a nossa realidade, somos bombardeados com informações onde quer que estejamos. O homem-massa, a nós apresentado por José Ortega y Gasset, é facilmente induzido a pensar de determinada forma e não se importa de fazê-lo igual a todo mundo. Assim, quando a mídia lança uma informação, pontos de vistas convergentes se espalham como chamas. O interessante de Black Mirror é observar o poder da mídia para interferir até mesmo em decisões do governo.



Já parou pra pensar que tragédias podem acontecer por erros da imprensa? Se neste episódio acontece uma tragédia você terá que assistir para descobrir. Mas, observando a realidade, é válido recordar o absurdo erro cometido pela Sônia Abrão no caso Eloá, em 2008. A Jornalista simplesmente ligou para o sequestrador, que tinha total domínio sobre a vítima. Segundo a própria Sônia, em 2012, na programação da Rede TV, se portou como "apaziguadora". O caso é que o sequestrador tinha uma televisão, ele podia acompanhar o que estavam falando sobre ele, então, como disse a minha professora de Práticas Jornalísticas, aquele era um momento no qual a mídia deveria "parar" e deixar a polícia trabalhar. Uma ligação, então, deveria estar fora de cogitação! Tinha uma vida em jogo!

Enfim, vale a pena assistir ao episódio Hino Nacional e tirar suas próprias conclusões. Já assisti toda a primeira temporada; garanto que é fantástica. Black Mirror, que se encaminha para a Season 4, tem os episódios da primeira, segunda e terceira disponíveis no catálogo da Netflix. 

Se você já assistiu a série, deixe seu comentário. Se não assistiu, deixe comentário também com suas impressões a partir dessa review (o primeiro que escrevo no blog!!!).

Carlos Rodrigo

Escritor. Blogger. Graduando em Jornalismo. Autor do conto "Rezadeira - O Caso da Família Cabral".

4 comentários:

  1. Realmente os meios de comunicação tem um poder imensurável

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Sávio, e como vemos "Hino Nacional" expressa esse poder muito bem...
      Obrigado pelo comentário.

      Excluir
  2. Olá, retribuindo a visita que fez em meu blog... simplesmente achei fantástica sua análise sobre a série... parabéns!
    Beijos!

    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir