CONHEÇA: "REZADEIRA - O CASO DA FAMÍLIA CABRAL"

[REVIEW] 1º TEMPORADA DA SÉRIE 3%

Imagens: Google Images
"3%" é uma série de Ficção Científica futurística ambientada no Brasil, muito diferente do atual. Teve o seu roteiro escrito em 2009 por Pedro Aguilera, e direção geral de César Charlone. A série chegou a ter um Piloto publicado no YouTube, gerou sucesso (apesar de ter sido recusada pelas emissoras de TV). Agora ela possui a honra de se tornar a primeira série brasileira a ser produzida e exibida pela Netflix.

Em 3%, a sociedade sul-americana é dividida entre os pobres do continente e o Maralto. No primeiro estão os que vivem em condições precárias, com escassez de água, alimentos, sem direito a saúde, educação, segurança. No segundo estão os que vivem em condições "perfeitas", um verdadeiro paraíso. Todos os anos o governo dá a oportunidade aos jovens do continente com 20 anos de passarem por um processo de seleção para ingresso no Maralto. Este processo acontece na Amazônia Subequatorial, caracteriza-se por provas de resistência, agilidade e raciocínio lógico. Apenas 3% dos jovens são classificados.


A série conta com 8 episódios, que podem ser assistidos em um único só dia pelos maratonistas de plantão. O primeiro chama-se Cubos e faz referência a primeira prova do processo, depois da entrevista (muitos são eliminados ainda nela), a qual os jovens se submetem. A regra do teste é que os candidatos utilizem peças de encaixe para montar 9 cubos, no mínimo, em um determinado curto período de tempo. Aqueles que não conseguem são desclassificados.  Alguns roubam cubos de outros e os organizadores do processo os classificam do mesmo modo. "Injustiças" como estas se repetem nas demais provas (geralmente uma por episódio).

Isso nos faz pensar sobre a coerência do roteiro. Ao passar pelo processo, como trapaceiros podem constituir uma sociedade perfeita? Com o decorrer das provas percebemos que o Ezequiel, chefe do Processo, busca conhecer os participantes de verdade e classificá-los segundo o desejo de ir para o "lado de lá", como também é chamado o Maralto. A informação recebida é que não importa o que você faça, você precisa fazer algo para ir para o 'lado de lá'. É a meritocracia em vigor! Por outro lado, dependendo do que você faz, isso pode acabar lhe matando no meio do processo. Então, não basta fazer qualquer coisa, é preciso saber fazer a coisa certa.

Enquanto existem aqueles que sonham em ir para o 'lado de lá', existem outros, do 'lado de cá', que querem derrubar a barreira entre os dois lados. O início para isso seria derrubar o Processo. Os membros da resistência compõe uma organização criminosa chamada a "A Causa". Eles mandam infiltrados para o Processo com o objetivo de chegar ao poder e criar uma revolução no Maralto.  Quais dos personagens seriam infiltrados? Eles conseguirão passar pelo Processo sem serem pegos? São os questionamentos que surgem.

Os personagens não são ruins, poderiam ser mais legais. A protagonista, Michele, é um pouco chata, mas a história não gira especialmente em torno dela. Torço por uma maior protagonização dos personagens mais interessantes da trama: Rafael, Joana e Fernando.

Embora o diretor geral tenha sido indicado ao Oscar de melhor fotografia pelo trabalho em Cidade de Deus, a fotografia de 3% não ficou tão boa boa. Outro ponto negativo é o desempenho do elenco, embora os atores escalados não sejam ruins, digamos que não foram tão bem aproveitados. Em alguns momentos eu olhava pra eles e pensava "vocês podem colocar mais emoção nesse negócio".

De qualquer forma, 3% merece ser assistida. Não está no nível das melhores produções Netflix, porém é perceptível o esforço para apresentar algo de qualidade. A série tem uma premissa incrível. Tenho ansiedade pela segunda temporada, por acreditar que a produção demonstra a capacidade de evoluir e surpreender ainda mais. A história é cativante e original.

Nota: 4/5

Carlos Rodrigo

Escritor. Blogger. Graduando em Jornalismo. Autor do conto "Rezadeira - O Caso da Família Cabral".

2 comentários: